Harmonização à italiana

harmonização a italiana

Algumas harmonizações clássicas entre vinhos e gastronomia italiana.

Barolo e Risoto de Funghi Porcini

O Piemonte, no noroeste da Itália, é conhecido pelos pratos fortes, com carnes ou derivados de leite, e pelas trufas brancas. Para harmonizar, um Barolo DOCG, tinto caracterizado pela excelente acidez da uva Nebbiolo e pela complexidade adquirida no longo tempo de amadurecimento (no mínimo, 38 meses, sendo 18 deles em barrica). Os aromas e sabores do vinho harmonizam à perfeição com as texturas do funghi e seus sabores amadeirados.

Chianti Classico e bisteca alla fiorentina

A autêntica receita é grelhada na brasa de carvão, salpicada com azeite de oliva extravirgem, pimenta e ervas. Deve ser servida com rodelas de limão e favas toscanas e a harmonização perfeita é com as notas frutadas e florais (violetas) dos Chianti Classico.

Brunello di Montalcino e clássicos da Toscana

Rabada, guisados, cogumelos ensopados e queijos duros combinam com o vinho da Toscana Brunello di Montalcino. Elaborado com a uva Sangiovese (lá chamada Brunello) e envelhecido por quatro anos, obrigatoriamente, tem aromas de cereja preta e ameixa, em um primeiro momento, e depois mostra especiarias e ervas.

Parmesão e Amarone

Essa é uma harmonização clássica. O queijo parmesão (o original é o Parmigiano-Reggiano) proveniente de Parma, na Emília-Romanha, combina à perfeição com a força e o sabor intenso do Amarone, produzido no Vêneto, um dos maiores e mais “carnosos” vinhos tintos secos de que se tem notícia.

Cogumelos, atum e lentilha e Valpolicella

Cogumelos fritos, salada de atum e bolinhos de lentilha são clássicos italianos degustados ao lado de um belo Valpolicella, o tinto do Vêneto elaborado com as uvas Corvina, Rondinella e Molinara. Para cada prato você poderá optar pelo Valpolicella ou Valpolicella Superiore, ambos secos e com sabores de uvas frescas.

Cantucci e Vin Santo

Esse tradicional e delicioso biscoito duro toscano combina à perfeição com o branco e concentrado Vin Santo, elaborado no interior da Toscana. A “técnica” é molhar o biscoito no vinho e se deliciar.

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será compartilhado. campos marcados com * são obrigatórios.